Lilith: Da Subversão à Demonização - A Ascensão do Deus Patriarcal

Autores

  • Bárbara Aline Ferreira Assunção Autor/in

DOI:

https://doi.org/10.51473/rcmos.v1i1.2024.479

Palavras-chave:

Lilith, paganismo, cristianismo.

Resumo

Este estudo investiga a evolução da figura de Lilith ao longo do tempo, desde sua origem no paganismo até sua reinterpretação pelo cristianismo. Reconhecida originalmente como uma deusa associada à fertilidade, à sexualidade feminina e ao poder criativo, Lilith passou por transformações em sua narrativa, refletindo mudanças nas atitudes em relação ao feminino divino e ao poder feminino. O estudo utilizou abordagem metodológica de cunho bibliográfico, para identificar narrativas dominantes, na busca honrar a verdadeira natureza de Lilith como uma deusa que celebra a força e a beleza do feminino.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Bárbara Aline Ferreira Assunção

    [1] Pesquisadora científica e editora-chefe da RCMOS - Revista Científica Multidisciplinar O Saber. Atua em coordenação editorial, pesquisa científica e ensino superior. Mestranda em Data, Economics, and Development Policy (DEDP) pelo Massachusetts Institute of Technology - MIT. Graduada em Jornalismo e Marketing. Especialização em Docência do Ensino Superior e Tutoria EAD pelo Instituto IBRA.

Referências

ASSUNÇÃO, Bárbara Aline Ferreira. Universalismo e Tradições Celtas na Busca Humana por Significado. RCMOS - Revista Científica Multidisciplinar O Saber, Brasil, v. 1, n. 1, 2024. DOI: 10.51473/rcmos.v1i1.2024.451. Disponível em:https://submissoesrevistacientificaosaber.com/index.php/rcmos/article/view/451. Acesso em: mar. 2024.

BALIEIRO, Cristina. O Legado das Deusas (com baralho), v. 2. BOD GmbH DE, 2020.

BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução de João Ferreira de Almeida. São Paulo: Sociedade Bíblica do Brasil, 2009. Edição Revista e Corrigida.

CANDIDO, Maria Regina [org.] Mulheres na Antiguidade: Novas Perspectivas e Abordagens. Rio de Janeiro: UERJ/NEA; Gráfica e Editora-DG ltda, 2012. p. 175-189.

DAMM, Camila Goos. As Deusas dos Ramos e o Sagrado Feminino. 2019.

FAUR, Mirella. Círculos sagrados para mulheres contemporâneas: práticas, rituais e cerimônias para o resgate da sabedoria ancestral e a espiritualidade feminina. Editora Pensamento, 2021.

FERNANDES, Marcelle Anacleto et al. Com a palavra, as mulheres: a representação da emancipação feminina nas obras de Sylvia Orthof. 2023.

FRÓES, Fadja. Memória e violência contra a mulher: o feminicídio como último ato da dominação masculina. Editora Dialética, 2023.

HERNANDES, Therezinha Maria. A montanha de vidro e o feminino: do poder ao desvanecimento. 2018.

KOLTUV, Barbara Black. O livro de Lilith: o resgate do lado sombrio do feminino universal. São Paulo: Cultrix, 2017.

LARAIA, R. de B. Jardim do Éden revisitado. Revista de Antropologia, [S. l.], v. 40, n. 1, p. 149-164, 1997.

MARQUETTI, Flavia R. Lábios de maçã: um perfil para o feminino. Revista Ártemis, v. 11, 2010.

MATHEUS NETO, Romão; JOSÉ COSTA, Leonardo; REGINA RIBEIRO, Regiane. A desobediência de Lilith: representações do mito da primeira mulher na animação Paranorman. Revista Fronteiras, v. 22, n. 2, 2020.

NICOLITTO, Leila Cristina Fajardo. Adélia Prado e o diálogo com mulheres bíblicas. Dissertação (Mestrado em Letras) – UNESP. Faculdade de Ciências e Letras de Assis, 2004.

POYAES, Ana Luiza Magalhães et al. O oblívio de uma fada: o apagamento de Morgana n’A Demanda do Santo Graal. 2019.

PIRES, Valéria Fabrizi. Lilith e Eva: imagens arquetípicas da mulher na atualidade. São Paulo: Summus, 2008.

RODRIGUES, Cátia Cilene Lima. Lilith e o arquétipo do feminino contemporâneo. In: Ética, religião e expressão artística. Anais do III Congresso Internacional de Ética e Cidadania. 2007.

ROSSI, Luiz Alexandre Solano; DA SILVA, Valmor. Anjos e Demônios na Bíblia. Paulus Editora, 2022.

SCHMITT, G. O mito de Lilith: entre deuses e demônios. CONGRESSO LATINO-AMERICANO DE GÊNERO E RELIGIÃO, 4., 2016, São Leopoldo. Anais do Congresso Latino-Americano de Gênero e Religião. São Leopoldo: EST, v. 4, 2016. | p.453-460

SICUTERI, Roberto. Lilith: A Lua Negra. Tradução: Norma Telles e J. Adolpho S. Gordo. 3. ed. São Paulo; Paz e Terra, 1998.

SILVA, Simone Amaral da. Fihas de Lilith: Desmistificando o Mito da Inferioridade Feminina / Simone Amaral da Silva. – Rio de Janeiro, 2022. 74f. Orientadora: Karla Louise de Almeida Petel. Monografia (graduação em Letras habilitação Português- Hebraico) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Centro de Letras e Artes, Faculdade de Letras. Bibliografia: f. 73-74.

SILVA, Aline Layane Souto da. Lilith e Medeia: mulheres-pesadelo da sociedade patriarcal. 2021. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

SILVA, R. P. da; GOMES, A. R. Testamento Vaginal Deixado Por Lilith: Corpo, Performance & História A Partir Da Obra Feminista De Carolee Schneemann. Revista Territórios E Fronteiras, 13(1), 218–241. 2020. https://doi.org/10.22228/rtf.v13i1.1020

SILVA, Cheyenne Fernandes. Imagens do feminino na obra “As filhas de Lilith” de Cida Pedrosa. Recife, 2018. 124 f.: il., fig. Orientadora: Maria do Carmo de Siqueira Nino. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Pernambuco, Centro de Artes e Comunicação. Letras, 2018.

VIEIRA, Danielly Cristina P. DE DEUSA A DEMÔNIO A... LILITH IYAPO: construção do feminino em Dawn (1987) de Octavia E. Butler. Dissertação (Pós-Graduação em Letras) – UFPE. Centro de Artes e Comunicação, 2020

Publicado

03.04.2024

Edição

Seção

Artigos Científicos de Pesquisa

Como Citar

ASSUNÇÃO, Bárbara Aline Ferreira. Lilith: Da Subversão à Demonização - A Ascensão do Deus Patriarcal. RCMOS - Revista Científica Multidisciplinar O Saber, Brasil, v. 1, n. 1, 2024. DOI: 10.51473/rcmos.v1i1.2024.479. Disponível em: https://submissoesrevistacientificaosaber.com/index.php/rcmos/article/view/479.. Acesso em: 21 maio. 2024.